Aula Quinta-Feira dia 30 de OUTUBRO de 2009

Avaliação de desempenho de uma unidade sucroalcooleira


Rendimento: é a medida da quantidade de produto (açúcar e etanol) por unidade de matéria prima. O rendimento industrial na linguagem usual das usinas (kg de açúcar / tc ou L de álcool / tc) está na dependência da qualidade da cana-de-açúcar processada.


O rendimento industrial, isto é, quanto de cana rendeu num determinado período e quanto a usina perdeu do açúcar que entrou. O método para se obter estas informações é através do balanço de açúcar (pol ou ART), onde calculamos quanto entrou de pol ou ART de cana, quanto se extraiu na moenda, quanto perdeu na torta de filtro, quanto produziu de açúcar e álcool e, finalmente, quanto foi perdido de açúcar nas “perdas indeterminadas”.


Na realidade, o que interessa é o teor de açúcar na cana e quanto deste açúcar está sendo perdido, pois isso dá uma idéia do nível de eficiência das operações que estão sendo feitas. Um baixo teor de açúcar na cana evidentemente resulta em um baixo rendimento industrial, de modo que para completar a avaliação é necessário conhecer a eficiência da industria em termos de recuperação do açúcar que entrou. Alta eficiência industrial, mas com baixo rendimento significa que a industria está operando com eficiência, mas a agrícola não, sob o ponto de vista que “o açúcar é produzido no campo”. Baixa eficiência industrial, independentemente do rendimento, significa que a industria não está operando bem, e portanto, necessita de ajustes nos procedimentos operacionais.


Eficiência: representa o produto recuperado por cento de quantidade disponível de matéria-prima. Este parâmetro mede com maior fidelidade o desempenho do setor industrial.


Eficiência industrial: porcentagem dos açucares que entram com a cana e que são recuperados nos produtos finais: açúcar e álcool. Entendemos que para uma fabrica que produz açúcar e álcool o principal parâmetro de avaliação é a eficiência global em ART, isto porque contempla tanto a sacarose como os açucares invertidos.


Recuperação teórica da fábrica de açúcar é a quantidade de sacarose que é possível recuperar em açúcar, em relação à quantidade presente no caldo, é governada pela equação do SJM (pureza do caldo, do mel e do açúcar). A correlação é definida pela fórmula:


Recuperação Teórica (SJM) % = [A x (C – M) / C x (A – M)] x 100 , onde:


A = pureza do açúcar %
C = pureza do caldo misto %
M= pureza do mel final %


Cálculo de eficiência global em ART – SIMPLIFICADO


Cana moída total = 330.000 t
Açúcar VHP produzido = 663.000 sacos de 50 kg
Álcool hidratado produzido = 6.000.000 L
Açúcar em processo = + 11.700 sacos de 50 kg
Álcool em processo = + 94.000 L
Pol % cana = 13,90
AR % cana = 0,57
Extração = 96,50 %
Pol açúcar (VHP) = 99,26 %
Mel estocado = 422.000 kg
ART do mel estocado = 54,57 %
Perda na água de lavagem de cana = 2,0 %
Pureza do mel final = 45,70 %
Pureza do caldo misto = 85,50 %




Cálculos:


1 – ART na cana (kg / tc) – Quantidade de ART que entrou na industria.
ART da cana = (Pol%cana / 0,95) + AR%cana
ART (kg / tc ) = Cana moída x ART da cana x 10


ART da cana = (13,90 / 0,95) + 0,57
ART da cana = 15,2067 %


ART (kg / tc) = 330.000 x 15,2067 x 10
ART (kg / tc) = 50.185.110 kg


2 – ART no açúcar – Quantidade de ART recuperado no açúcar produzido.
ART no açúcar = (açúcar produzido + açúcar em processo) x [(pol açúcar / 100) / 0,95] x 50


ART no açúcar = (663.000 + 11.700) x [(99,26 /100) / 0,95] x 50 (Passar para tonelada x1000)
ART no açúcar = 35.247.748,42 kg


3 – ART no álcool (100%) – Quantidade de ART que foi recuperado no álcool produzido.
ART no álcool (100%) = (álcool produzido + álcool em processo) x 0,96 / 0,6475
Onde: 0,96 = fator de conversão álcool hidratado em absoluto
0,6475 = fator de transformação de 1 kg de ART em litro de álcool


ART no álcool (100%) = (6.000.000 + 94.000) x 0,96 / 0,6475
ART no álcool (100%) = 9.035.119,69 kg


4 – ART no mel estocado – Quantidade de ART presente no mel que não foi consumido na produção de álcool.
ART no mel estocado = Mel estocado (kg) x ART do mel estocado / 100


ART no mel estocado = 422.000 x 54,57 / 100
ART no mel estocado = 230.285,40 kg


5 – ART total produzido (kg) – somatória de todo ART produzido no açúcar, no álcool e no mel estocado.
ART total produzido = ART no açúcar + ART no álcool + ART no mel estocado


ART total produzido = 35.247.748,42 + 9.035.119,6 + 230.285,40
ART total produzido = 44.513.153,51 kg


6 – Eficiência Global em ART – EFG (%)
EFG (%) = (ART total produzido / ART na cana) x 100


EFG (%) = (44.513.153,51 / 50.182.110) x 100
EFG (%) = 88,73 %


7 – ART perdido (%)
ART perdido = [(ART na cana – ART total produzido) / (ART na cana)] x 100


ART perdido = [(50.182.110 – 44.513.153,51) / 50.182.110] x 100
ART perdido = 11,30 %


8 – Perda na extração (%)
Perda na extração = 100 – Extração (%)


Perda na extração = 100 – 96,50
Perda na extração = 3,5 %


9 – Perda Determinada (%)
Perda Determinada (%) = perda na extração + perda na água de lavagem + perda na torta + perda na destilaria


Perda Determinada (%) = 3,5 + 2,0 + 0 + 0
Perda Determinada (%) = 5,5 %


10 – Perda Indeterminada (%)
Perda Indeterminada (%) = ART perdido (%) - Perda Determinada (%)


Perda Indeterminada (%) = 11,30 – 5,5
Perda Indeterminada (%) = 5,8 %


11 – Recuperação Teórica % (SJM)
RT % (SJM) = [A x (C – M) / C x (A – M)] x 100


RT % (SJM) = [99,26 x (85,50 – 45,70) / 85,50 x (99,26 – 45,70)] x 100
RT % (SJM) = 86,27 %


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Recentes

Postagens Populares