Syngenta desenvolverá tecnologia para elevação do teor de açúcares em cana


A Syngenta anunciou que vai acelerar o desenvolvimento de uma tecnologia inovadora que eleva significativamente o teor de açúcares na cana. Esta nova tecnologia será baseada na pesquisa em biotecnologia da própria Syngenta combinada com a tecnologia SugarBoosterTM, que utiliza modificação genética para introduzir uma enzima na planta, ajudando a aumentar os teores de açúcares produzidos pela cana. A Syngenta assinou um acordo exclusivo de licenciamento de SugarBooster com a CSR Sugar, uma empresa australiana produtora de açúcar e de energia renovável.
"A combinação do SugarBooster com nosso próprio trabalho no campo de biotecnologia em cana acelerará nossos esforços no sentido de maximizar a quantidade de açúcares produzidos por hectare de cana. Com isso, ofereceremos ganhos de produtividade e benefícios econômicos aos nossos clientes, que buscam atender a crescente demanda por açúcar e etanol", disse Marco Bochi, diretor de Novas Tecnologias em Cana da Syngenta para a América Latina.
A Syngenta obteve uma licença global de direitos exclusivos ao SugarBooster para uso em culturas das quais se extraem açúcares - exceto na Austrália. O acordo inclui pagamentos à CSR Sugar, inclusive de royalties na venda de produtos. Termos adicionais não foram divulgados.
A Syngenta tem mais de 40 projetos em diversos estágios de progresso, desenvolvidos com o objetivo de ampliar desempenho agronômico, controle de insetos e ervas daninhas e aumento da concentração de açúcares na cultura da cana. Em 2008, a empresa anunciou o desenvolvimento do Plene. Por meio do plantio de gemas de cerca de quatro centímetros tratadas com produtos Syngenta, essa tecnologia trará reduções significativas nos custos de plantio por hectare, além de benefícios ambientais em função da menor compactação do solo.





Fonte: Assessoria de Imprensa da Syngenta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Recentes

Postagens Populares