Vacina de açúcar para resistir a temperaturas tropicais

As vacinas do futuro poderão ser como dar um rebuçado a uma criança: de acordo com uma equipa de investigadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, o fármaco não necessitaria de refrigeração e apenas custaria uns cêntimos, avança o site Ciência Hoje.

Segundo Matthew Cottingham, investigador britânico, estas vacinas poderiam aguentar temperaturas tropicais até 45º centígrados, durante seis meses – o que seria um importante contributo para o tratamento da Malária, por exemplo. Antes de salvar os infectados, é necessário proteger os vírus modificados, que portam a imunização e, caso não exista um frigorífico, não haverá vacina que resista.
Nos países africanos e asiáticos, as altas temperaturas representam um problema e, por isso, o fármaco escasseia rapidamente ou, em caso de garantirem refrigeração, “o preço sobe até 20%”, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).
A novidade baseia-se na sacarose, do açúcar normal, usado para adoçar o café, e num outro composto do mesmo género, a trealose (um dissacarídeo). Cottingham e a sua equipa experimentaram misturar as substâncias com dois tipos de vírus usados em vacinas. Posteriormente, esperaram que a mistura repousasse e que a água evaporasse por completo, de onde resultou um cristal sólido de açúcar que contém o vírus imobilizado.
“O cristal pode ser empacotado e enviado para qualquer parte do mundo e uma vez chegado ao destino é só juntar água para obter a solução”, explicou o investigador. Mesmo que passem seis meses e que a temperatura suba até aos 45º centígrados, “a vacina continuará eficaz, e se o termómetro apenas subir aos 37º, poderá aguentar um ano”.
Cottingham assegura que o sistema poderá funcionar com actuais vacinas para o sarampo e a febre amarela. No entanto, o objectivo é criar uma nova geração de fármacos contra a malária, sida e tuberculose. Muitos destes tratamentos incluirão adenovírus e o chamado ‘poxvírus’ para a inoculação.
A equipa recebeu uma verba de 10 milhões de dólares da Fundação Bill e Melinda Gates, para desenvolver o estudo, que se prevê estar pronto em cinco anos.
 
Fonte: http://www.rcmpharma.com/news/6852/51/Vacina-de-acucar-para-resistir-a-temperaturas-tropicais.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Recentes

Postagens Populares