2. Biocombustíveis / 3. Bioetanol

Biocombustíveis / Bioetanol
2. Biocombustíveis

Biocombustíveis abrangem uma grande variedade de matérias-primas, tecnologias de conversão e uso final. Eles são usados principalmente para o transporte e produção de electricidade. Biocombustíveis para o transporte, como o etanol e biodiesel, são uma das fontes de crescimento mais rápido de energia alternativa no mundo hoje. A produção global de biocombustíveis elevou a 62 bilhões de litros ou 36 milhões de toneladas de óleo equivalente (Mt) em 2007 - o equivalente a cerca de 2% do consumo mundial de combustíveis de transportes em termos de energia (OESO, 2008).

3. Bioetanol
A produção global de bioetanol triplicou em relação ao nível de 2000 e atingiu 52 bilhões de litros (28,6 Mt) em 2007 (OESO, 2008). Com base na origem do abastecimento, o etanol brasileiro a partir de etanol de cana e  o do milho americano estão, de longe, liderando a produção de etanol. Em 2007, o Brasil e os Estados Unidos responderam por quase 90% da produção de etanol mundial.
No Brasil a produção de etanol, totalmente baseado em cana (Saccharum spp.), Iniciada nos anos setenta e teve um pico em 1980, depois caiu como  preços internacionais do petróleo também caindo, mas aumentou rapidamente novamente desde o início do século 21. Custos de produção em queda, aumento dos preços do petróleo e a introdução de veículos que permitem alternar entre etanol e gasolina convencional levaram a este aumento na produção renovada.
Na safra 2007/08 o Brasil produziu 22,24 bilhões de litros de etanol. Conab / AgraFNP
espera um outro salto para a safra 2008/09 com uma produção esperada de 26,7
bilhões de litros (AgraFNP, 2008). Este aumento é principalmente devido à expansão da cana
na região. Em 2007/08 a área para a cana de açúcar foi de 6,96 milhões de hectares, estima-se que irá crescer para 7,67 milhões de hectares em 2008/09. A produção total de cana também aumentou de 549,902 milhões de toneladas para 598,224 milhões de toneladas.
Uma planta típica do Brasil esmaga 2 milhões de toneladas de cana por ano e produz
200 milhões de litros de etanol por ano (1 milhão de litros por dia, durante seis meses - abril a Novembro, na região sul-oriental). O tamanho da área plantada necessária para suprir a
usina de transformação é, em média, 30 mil hectares. Devido ao processo de degradação da qualidade da cana colhida e a distância até a fábrica que é de até 70 km no máximo.
Nos Estados Unidos da América (EUA) a produção de etanol, principalmente de milho (Zea mays ssp. Mays L.), tem aumentado nos últimos anos como resultado de políticas públicas e medidas como incentivos fiscais e mandatos e  também uma demanda por etanol como um substituto para o metil-terciário butílico (MTBE), um componente de mistura da gasolina. Entre 2001 e 2007, o combustível americano teve sua capacidade de produção de etanol aumentada, cresceu 220% de 7,19 bilhões para 26,50 bilhões de litros (OCDE, 2008). A nova Lei de Energia se expande e o mandato para os biocombustíveis, como etanol, para 56,8 bilhões de litros em 2015.
Embora a capacidade instalada de produção de etanol na União Europeia (UE) equivale a 4,04
bilhões de litros no momento (OESO, 2008), a capacidade operacional da Europa é significativamente menor em 2,9-3,2 bilhões de litros, em algumas plantas suspenderam a produção. A maior parte da produção na UE, no entanto, é o biodiesel, que, por sua vez, é responsável por quase dois terços da produção do mundo de biodiesel.
Em outros lugares, a China com 1,8 bilhões de litros de etanol (Latner et al., 2007) e o Canadá com 0,8 bilhões de litros são produtores relativamente menores.

Postagens Recentes

Postagens Populares